Insegurança maior do mercado quanto às reformas e governabilidade

0
514

POR JARBAS DE HOLANDA

PIB de 2017 reduzido da projeção de pequeno aumento de 0,50%, na semana passada, para o de apenas 0,41%. De par com a de queda da relativa à inflação (de 3,90% para 3,71%), favorável ao objetivo de maior depreciação da taxa de juros mas atribuída sobretudo  à persistência do quadro recessivo de muitas atividades produtivas e de grande desemprego, que deprime o consumo. Dados negativos do boletim Focus, de hoje, confirmados pela movimentação do mercado financeiro durante a manhã: queda além de 0,50% da Bovespa, para bem menos de 62 mil pontos, e novo aumento da cotação do dólar, para perto dos R$ 3,30.

Tais previsões e reações refletem a sequência da incerteza, e insegurança, dos agentes econômicos sobre a capacidade do presidente Temer de garantir a aprovação de reformas essenciais e a própria governabilidade – mesmo após a vitória, polêmica, que conseguiu no TSE na última sexta-feira. Insuficiente pois ele continua ameaçado por agressivas ações da Procuradoria Geral da República (com potencial de deteriorar as relações do Executivo com a cúpula do STF) e dependente do respaldo do Congresso para preservação de seu mandato. Dependência esta que pode ser atenuada por provável decisão do PSDB, nesta 2ª feira, de manter apoio ao governo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.