Natal, Ano Novo e o peso maior do papel institucional da construção

0
746

Ao fim de um 2017 em que nos centramos, de um lado, em ações defensivas das empresas associadas (da persistência dos efeitos da recessão e de várias distorções contratuais no mercado de obras públicas) e, do outro, na construção institucional e prática de parcerias com as três esferas do governo para reforço e ampliação do mercado, ao cabo desse ano dirijo uma saudação fraterna a todos os associados da APEOP e a seus familiares. Extensiva aos dirigentes das entidades coirmãs e aos nossos interlocutores do poder público. Bem como aos profissionais da imprensa que cobrem as atividades político-reivindicativas da entidade.

Meus votos são os de comemoração festiva da passagem do Natal e da chegada do Ano Novo. E para o revigoramento do trabalho individual, cooperativo e criativo das empresas para o enfrentamento dos desafios que temos à frente.

Nos planos estadual e municipal, paulistas, a atuação da APEOP combina a cobrança de agilidade e investimentos nos programas estatais com o desencadeamento efetivo de parcerias (concessões, PPPs, locação de ativos) nas diversas áreas da infraestrutura e nos serviços públicos.

Particularmente quanto à prefeitura da Capital, articulamos a cobrança de retomada das obras interrompidas por falta de recursos com o preparo (já com passos significativos dados) da presença das associadas nos diversos programas de parceria para a gestão privada de equipamentos, logradouros e serviços públicos.

E quanto aos desafios maiores, para o conjunto do setor, correspondentes a políticas, reformas estruturais e a ações do governo federal, cabe valorizar a qualificação dos papeis institucional e reivindicativo que a CBIC vem desempenhando. Cujo peso tem-se refletido no destaque à entidade pelo conjunto da mídia – na televisão e nos grandes jornais.

Assim foi tratado o encontro recente do presidente Michel Temer, e seus principais ministros, com o presidente da CBIC, José Carlos Martins, e demais lideranças (das entidades Anamaco, Abramat, Sinicon, CBCA, AcoBrasil e Força Sindical) reunidas na “Coalisão pela Construção”. Para a entrega ao chefe do governo de amplo diagnóstico dos problemas decorrentes da queda dos investimentos na infraestrutura e no mercado imobiliário, bem como nas indústrias de equipamentos e material de construção, com grave impacto no desemprego. Estudo desdobrado com propostas, consistentes e precisas, para rápida viabilização de um salto de investimentos, com recursos públicos e parcerias com a iniciativa privada, que terá implicações também rápidas na geração de empregos.

Outra evidência do aumento do peso institucional e social do setor foi a grande repercussão do forte apoio empresarial à reforma da Previdência, reiterado num encontro de lideranças com o presidente Temer, na semana passada. No qual ele destacou a presença do dirigente da CBIC. Cabendo assinalar que a APEOP participa diretamente das ações e iniciativas da CBIC através do presidente da COP – Comissão de Infraestrutura, Carlos Eduardo Lima Jorge.


Fechado o parêntese sobre os desafios nacionais, quero concluir renovando a todos – inclusive aos dedicados servidores da APEOP – meus votos de
Feliz Natal e Próspero Ano Novo.

 

Luciano Amadio
Presidente da APEOP

DEIXE UMA RESPOSTA

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.